terça-feira, 1 de novembro de 2016

Eraldo de Cabeça Dantas: “vou procurar dar o melhor de mim para esse município” (kkkkkkkk ai, ai ESQUECEU OS FONSECAS, este Prefeito tem juizo!!!!!!!!!)!


Eraldo de Cabeça Dantas: “vou procurar dar o melhor de mim para esse município”

Portal Lagarto Notícias
O Portal Lagarto Notícias inicia a partir deste domingo uma série de entrevistas com os prefeitos eleitos e reeleitos da região Sul e Centro-sul de Sergipe.
O nosso primeiro entrevistado é o prefeito eleito de Boquim, Eraldo de Andrade Santos, conhecido como Eraldo de Cabeça Dantas, de 44 anos, filiado ao Solidariedade (SD), casado, pai de dois filhos e natural de Boquim/SE.
Eleito com 58,23% dos votos válidos
Eleito com 58,23% dos votos válidos
Eraldo de Cabeça Dantas foi eleito com 9.612 votos (58,23% dos votos válidos), vencendo o atual prefeito, Jean Carlos (PSD), que obteve 6.864 votos (41,77 % dos votos válidos).
A Coligação Acreditamos na Mudança foi composta pelos partidos: SD, PT, PSC, PV, PSDB, e PROS.
Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o prefeito eleito comprovou que gastou R$72.169,34 durante a campanha eleitoral. O vice-prefeito eleito é Chicão Almeida (PT).
Confira a entrevista na íntegra:

Portal Lagarto Notícias: O senhor foi candidato a vereador em 2004, e não obteve êxito, rompeu com o grupo do então prefeito eleito, Pedro Barbosa, e foi candidato em 2008 obtendo êxito.

Eraldo: Fui candidato pela segunda vez em 2008 pelo grupo dos Fonseca, através do empresário Jorge Mitidieri. Naquela oportunidade, a Câmara de Vereadores de Boquim possuía 12 cadeiras, e diminuiu para nove. Mesmo assim eu consegui ser eleito com 687 votos, fui o quarto colocado na cidade de Boquim, daí procurei desempenhar o meu papel no poder legislativo, além de desenvolver um trabalho social forte no município, ganhei destaque.
Até que em 2012, na minha reeleição, fui o terceiro colocado. Boquim já disponibilizava 11 cadeiras no legislativo, e ai fui fazendo meu trabalho, até que nas eleições deste ano, o nosso candidato até então era Luiz Fonseca, e ele por diversos motivos acabou desistindo. E o grupo optou pelo meu nome, pois entendiam que eu tinha chance real de ganhar a eleição, conversei com minha família e amigos, até que lançamos a nossa candidatura.

PLN: Essa mudança de nome foi em que mês?

Eraldo: Isso foi há 30 dias antes da convenção partidária. O deputado Laércio Oliveira mandou chamar os partidos de oposição, o Partido Verde e o Partido dos Trabalhadores, de Chicão, o qual compôs a nossa chapa como vice-prefeito. Depois disso, demos o pontapé inicial e, graças a Deus, deu tudo certo.

PLN: Houve alguma rejeição da população da zona urbana porque o senhor reside no povoado Cabeça Dantas?

Eraldo: Não. Mas houve rejeição por parte dos nossos opositores, até que houve um momento infeliz em que postaram nas redes sociais: ‘analfabeto vota em analfabeto’, isso para tentar me desqualificar porque não tenho uma formação a nível de mestrado ou doutorado, mas eles esqueceram que um dos melhores prefeitos de Boquim até hoje foi Horácio Fontes, e ele não tinha mestrado e nem doutorado, e nem por isso deixou de ser um grande prefeito. Então não vejo problema nenhum, foi questão de campanha, não considerei a frase e nem guardo mágoa no coração, agora vou procurar dar o melhor de mim para esse município, porque entendo que a população necessita de um administrador que cuide da cidade e do seu povo, e que queira ver o desenvolvimento do município.

PLN: O que levou o senhor a ser candidato de oposição a um grupo político que está há 12 anos à frente do executivo boquiense?

Eraldo: Nós vínhamos fazendo um trabalho social muito forte no município, até que chegou um momento em que observei que não tinha mais como ser vereador, porque eu não tinha mais como sustentar um trabalho que construí enquanto vereador.
A gente entende que quem tem que fazer trabalho social é o município, mas como ele não faz ou fazia, nós realizávamos porque temos um coração maior que Boquim, vamos dizer assim. A gente acabou gerando expectativa na população, a qual sempre nos procurava diante de uma dificuldade, e a gente ajudava mesmo sem condições. E foi ai que vi que precisava conquistar algo maior, e já que tinha aparecido a oportunidade de ser prefeito, eu aceitei ser o candidato. Eu até pensei em desistir, mas eu vi a imagem de Deus dizendo para seguir naquela porta que ele tinha aberto, então fiz a campanha, chamada de campanha dos lisos porque não tinha dinheiro, começamos a juntar o povo, e eu não me permitia fazer falsas promessas, pois não estaria enganando o povo de Boquim, estaria enganando a Deus.
E quando digo que vou dar o melhor de mim, é porque a nossa eleição, foi uma eleição em que poucos acreditavam e confiavam, mas como nós temos sempre Deus na frente, tenho certeza que faremos uma grande administração.

PLN: Quando o senhor percebeu que seria eleito?

Eraldo: Quando recebi essa resposta de Deus, tive certeza que ganharíamos a eleição. Embora muitas pessoas, inclusive minha esposa, diziam: ‘Eraldo, você vai entrar num negócio desses como um peixe pequeno diante desses tubarões. Está vendo que você não vai ganhar?’, e eu respondia: ‘Vou entrar, e vamos ganhar a eleição porque a minha fé é muito grande’, e ficou maior depois que ouvi a voz de Deus. Mas foi do meio para o fim da campanha que percebi que o nosso nome sairia vitorioso, pois os nossos eventos engrandeceram. Além disso, as nossas pesquisas só apresentavam largas vantagens.

PLN: Qual a sua relação com a família Fonseca?

Eraldo: Em 2014, quando fui candidato derrotado a vereador, eu era opositor a família Fonseca. Mas não tinha contato com eles, eu tinha uma rejeição sem ter contato com eles, e isso aconteceu porque o grupo em que estava passava uma certa imagem deles para mim, porém quando me aproximei deles, ganhei as eleições, e eles confiaram em mim, até que fui percebendo que tudo o que se falava deles não era verdadeiro.
Pra você conhecer melhor, você tem que conviver junto, morar, ou andar junto, e eu passei a conviver com essas pessoas, elas confiaram em mim, e eu me elegi vereador e prefeito dessa cidade. Vou dizer mais, nessa campanha falavam muito de Luiz Fonseca, que quem iria mandar era ele, mas faço questão de dizer que até hoje os Fonseca nunca interferiram no meu mandato, e eu admiro essa postura deles.

PLN: Eles serão convidados para compor o secretariado da sua gestão?

Eraldo: A família Fonseca deu uma contribuição muito grande a nossa campanha, mas vou provar que quem vai administrar é Eraldo e Chicão. Luiz é uma pessoa muito querida, sei da importância dele e da sua família da nossa eleição, mas Luiz não quer ser secretário, e eu não devo fazer isso porque nossa eleição veio da base popular. Precisamos deixar de fora esse pacto político, e fazer uma administração com o povo.
Hoje a Secretaria de Juventude está nas mãos de alguém do meio político, nós iremos conceder essa pasta a alguém do meio do povo. Vamos tirar uma pessoa do meio do povo para ser secretário de Ação Social, é preciso trazer de volta a esperança do povo de Boquim, porque o costume de algumas administrações é nomear a esposa para a Ação Social. Nós viemos para ser diferente. Luiz foi uma pessoa importante, mas acho que não é hora dele participar. Não nos elegemos com compromissos políticos pós eleição. Então os Fonsecas não participarão do meu secretariado.

PLN:  O senhor foi eleito por um partido de oposição ao governador Jackson Barreto, então como será a relação entre a Prefeitura de Boquim e o Governo do Estado?

Eraldo: Ainda não tive contato com o governador, mas este momento chegará. Eu entendo que o palanque tem que ser desarmado, a eleição acabou, e Jackson é o governador de todos os sergipanos. Eraldo é prefeito de todos os boquiense, então eu preciso buscar recursos com o Governo do Estado sim, e vou conversar com ele, e ele tem que entender que administra para todo o Sergipe. Além disso, o que eu puder buscar para o município através do governo, irei buscar e espero que ele nos atenda. Tenho minha consciência política, e irei atender a todos os boquiense de igual para igual.

PLN: Quais os pilares da sua administração?

Eraldo: Transporte universitário gratuito, embora saiba que isso não é obrigação do prefeito, mas um prefeito que quer ver o desenvolvimento da sua juventude, ele tem que incentivá-la; a saúde, principalmente na questão das ambulâncias pois Boquim foi um município que já teve duas maternidades, e que hoje tem dificuldade de encontrar uma ambulância. Por isso, vamos implantar uma rede de ambulâncias 24h, a qual assistirá toda a população que precisa de atendimento.
Também resgataremos o esporte criando uma Liga Municipal, para trazermos de volta a alegria do futebol e do esporte para a nossa juventude, assim tirando o mesmo da criminalidade e das drogas. Então temos que resgatar o esporte, pois muitos atletas saíram de Boquim.

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Acabei de enviar para o deputado em fim de carreira

ZefitaMeireles: Boa tarde. Parabéns deputado. Finalmente vc conseguiu cuspir no prato que comeu e na cara do povo humilde de São Domingos Que te deu inoscentemente o direito de ser o que é até hoje. Sua sêde de poder ultrapassou os  limites que poderia-nos imaginar. Nunca imaginamos que fosse tão cruel, orgulhoso, frio e fraco espiritualmente. Foi tarde para mostrar sua frieza porq se tivéssemos descoberto na sua última eleição que estava perdido no Estado e eleito com os votos desse povão humilde, sofredor e persseguido pela monstruosidade desse gestor que aí estar, jamais teria-mos te dado esse direito de sorrir com seu bom salário hoje. Mas como diz o ditado popular, aqui se faz, aqui se paga. A justiça da terra falha mas a de Deus nunca. Hoje falo de coração. Maldita hora que batalhei tanto e tanto votamos. Se o seu foco era HM, fosse à ele sua vingança pois ele é bem crescidinho para resolver suas pendências. Hoje te garanto que não ganhou só um inimigo. Ganhou sim, 2.489 inimigos com muita sêde de olhar nos seus olhos e dizer: tenho pena do seu amanhã. Pois quem planta ventos colhe tempestade. Nada melhor que um dia após o outro. Será que vc consegue ter um sono tranquilo depois da maldade que nos causou? Se realmente tem, Não sei que nome o dá. 2018 vem aí. Passa rapidinho. Só peço a Deus que nus dê forças para suportar tamanho odio, nôjo e nos livrar do rancor. Só te desejo Boa sorte com seus novos amigos.         
                
Acabei de enviar para o deputado em fim de carreira     
                                   
ZefitaMeireles : Veja o que ele me respondeu ☝🏾☝🏾☝🏾

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Que Deus abençoe toda a população de São Domingos e a NAÇÃO BACURAL.

Gente querida de São Domingos. Quero agradecer a confiança e o apoio incondicional que os 2489 eleitores deram a nossa candidata Leila Paixão(55). Foi uma campanha linda, do povo, sem maldade, sem compra de votos, mas com sentimento de mudança e de gratidão. A diferença de 500 votos será revertida já em 2018. Não vamos nos dispersar, vamos manter este sentimento de união que o pizeiro nos proporcionou. Esta monstruosidade de administração só permaneceu porque alguns não entenderam o desejo do nossos eleitores, pois mais da metade do povo de São Domingos a rejeitaram nas urnas. Esperamos que os verdadeiros Bacural revejam alguma posição e se unam ao objetivo desta nação. Mas saímos fortalecidos embora sem alcançarmos o êxito esperado, pois retomar a Prefeitura para os Bacural era o nosso objetivo. Vamos manter o nosso foco e daqui a 21 meses retornaremos as ruas para elegermos novo presidente, governador, senador, deputado federal e estadual. Porém desta vez livres e já reconhecendo os verdadeiros amigos. Vamos em busca dos 300 votos dos gatos que precisamos e não tenho dúvidas que conseguiremos. Que Deus abençoe toda a população de São Domingos e em particular a NAÇÃO BACURAL.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

O SARUÊ chefe sem voto

Plagiando o grande aproveitador e  enfrentador da família tradicional, o SARUÊ chefe sem voto,

"então vamos lá":

O grande Zé Dirceu resolveu seguir o caminho mais apropriado a sua insignificância política. Mesmo sendo possuidor de moedas dos mais variados países e continentes, (tipo dólares, euros, libras esterlinas, reais, yens, etc., kkkkk), contentou-se em ser candidato fora do seu sonho inalcançável. Dizem as más línguas que o objetivo triplo pode não ser atingido, pois o primo será eleito, o tio do amigo "manha" tb será e, por fim, este Zé Dirceu sofrerá uma derrota avassaladora.  O que se comenta é que mãe, pai, irmã e esposa não acompanham a loucura de Zé Dirceu.
Outro detalhe que chama atenção é o poder econômico alardeado pelos dois empresários sem empresas. Quem realmente é empresário, tem empresas e tem um poder econômico largou esta turma e disse que torcia pela união.
Na relação de bens deste empresários nada de patrimônio ou empresas aparece. Será que está havendo ocultação de bens para fugir do fisco? Vamos averiguar, pois forjar informações é crime eleitoral. Mais parecem dois quebrados em busca de uma mamadinha para acertar a vida futura. Igualmente, nota-se que os nomes de empresários devem está ligado a um laranjal desconhecido da Receita Federal. Dizem ter duas centenas de funcionários, os quais não possuem nenhum registro no Ministério do Trabalho.
Sinceramente, dar nojo ver estes aproveitadores e sanguessugas que são vassalos do Coronel Saruê, o grande mentor desta turma sem votos. Aliás, o chefe do SARUÊS sofrerá uma derrota humilhante e será desmoralizado pelos eleitores e povo de São Domingos, que apenas queriam receber o dinheiro que foi prometido e ainda blocos, telhas comum, telhas eternit, cimento, etc. A questão é que os SARUÊS pensam que povo é gado e que o ferro é uma foto que tem que ficar pendurada para receber pela compra de votos. No entanto, já se  comenta que o chefe do SARUÊ avisou  que a partir de outubro fechará as portas.

Orgulho e inveja é olhar para o alto e dizer: este teto conseguir com o meu suor e não lesando as pessoas ou mesmo sendo ingrato e sem reconhecimento. Ser honesto é outra qualidade que estes não possuem. Mas este ponto da desonestidade será colocado em breve.⁠⁠⁠⁠

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Hélio Mecenas, Robson Mecenas e Leila Paixão, representando todos do GRUPO BACURAL, Agora é 55



GENTE QUERIDA DE SÃO DOMINGOS,

          Inicialmente, queremos hoje, aqui, expressar nosso sentimento por esta querida cidade e por este querido povo que nela habita; quero também falar da minha trajetória política, da minha experiência, da minha fé e das minhas esperanças em um São Domingos próspero e desenvolvido. Quero mostrar minha disposição de acompanhar essa caminhada ao lado da nossa pré-candidata a Prefeita Leila de Cosminho, cuja chapa completa será definido em momento oportuno. Sabemos que será uma longa e difícil caminhada, mas que com a ajuda de todos e com a força e a sabedoria do povo são-dominguense será, com certeza, vitoriosa.

         Há alguns meses atrás, me apresentei como pré-candidato a Prefeito de São Domingos, inclusive, elaborei um plano de governo que faria de São Domingos a cidade modelo da região agreste do nosso estado, o qual se tornou conhecido de todos quando o apresentei em entrevista concedida à rádio SDFM. Contudo, em virtude de impedimentos decorrentes de ações judiciais, fiquei impossibilitado de concorrer ao pleito nestas eleições. Todavia, em momento algum faltei com a verdade ao povo são-dominguense e no momento oportuno expus publicamente minha condição de impedimento de ser o candidato a Prefeito pelo grupo dos BACURAL, razão pela qual decidi apoiar a candidatura de Leila ao cargo de Prefeita, por acreditar que ela está voltada aos interesses do povo são-dominguense.

         Durante 20 anos, o povo são dominguense alcançou muitas conquistas na saúde, na educação, no esporte (liga são dominguense de futebol amador, campeonato são dominguense de futebol, campeonatos de escolinhas, copa nordeste de futebol de base, campeonatos de futsal, são domingos futebol clube, jogos da independência), na área social (projeto “viver melhor”, projeto “viver sem fome” com doação de cestas básicas, entrega de centenas de casas à população, criação do centro de convivência para idosos), na agricultura (construção de poços para fornecimento de água nos povoados e parceria com a Deso para fornecer água para o centro da cidade; construção de centenas de unidades habitacionais; fornecimento de energia elétrica para todo o município; criação da Secretaria de Agricultura; empréstimos e financiamentos para o pequeno agricultor e incentivos para os proprietários de casa de farinha).

         Antes da Administração Hélio Mecenas São Domingos era uma cidade desconhecida e mal administrada. Uma cidade sem perspectiva de progresso, sem futuro para os jovens, com uma rede municipal de educação deficiente, onde os estudantes precisavam se deslocar para a capital ou municípios vizinhos para ter acesso a um estudo de qualidade; uma saúde precária, onde não havia assistência médica de qualidade, não havia ambulâncias para o transporte dos enfermos. A cidade de São Domingos parecia uma terra de ninguém, desprovida de saúde, educação, moradia, lazer, esporte e cultura. Desprovida de tudo, mas o pior: era desprovida de expectativas, de sonhos!

         Após a Administração Hélio Mecenas, o município de São Domingos passou a ser uma cidade conhecida e respeitada no nosso estado. O povo são dominguense passou a ter uma vida digna. A cidade passou a ser referência na região agreste na área da educação, com a construção da Escola José Fonseca Lima, a qual obteve o 1º lugar do ENEM de 2009, duas universidades UNIT e UFS, as quais recebem inúmeros estudantes de outras localidades do estado. No esporte, o time do são domingos futebol clube conquistou o bicampeonato do estado e por dois anos consecutivos representou o nosso estado na Copa do Brasil, além de vários campeonatos de futebol. A saúde passou a ser tratada com prioridade, com atendimento médico e odontológico de segunda a sexta feira no centro de saúde Hélio Mecenas. Nossa cidade ganhou uma emissora de rádio, a Rádio Comunitária São Domingos FM, que hoje é líder de audiência na região agreste e que serve de meio de comunicação em prol do nosso povo querido. Sem deixar de mencionar, ainda, as festas com grandes atrações nacionais. Até os idosos que eram esquecidos pelas outras administrações se tornou prioridade na administração Hélio Mecenas, com a criação do Centro de Idosos, onde eles participam de atividades físicas, sociais e culturais.

Hoje podemos ter orgulho da nossa cidade e chegar em qualquer lugar do nosso estado e nosso país e dizer: nós sou de São Domingos! Mas, se progredimos, também devemos admitir que ainda falta muito por fazer. E se considerarmos os avanços em outros municípios e o potencial do nosso município, uma conclusão é inevitável: São Domingos pode ser muito mais do que é hoje, pois paramos nos últimos 4 anos.

Mas para retomarmos nosso desenvolvimento, precisamos enfrentar os problemas atuais e resolvê-los, sem ceder à demagogia e à politicagem que ora quer instalar o caos na nossa querida cidade. E essas eleições é a nossa oportunidade de decidirmos voltar a crescer, voltar a progredir e se livrar das perseguições e da política que tem como lema “quanto pior melhor”. É a nossa chance de nos livrarmos dos políticos que não fazem e nem deixam fazer. A começar pelo apreço aos interesses da população e não de políticos que querem o poder para satisfazer seus interesses pessoais. Devemos respeitar, defender e fortalecer os interesses do povo, jamais afrontá-los.

Povo e poder são duas palavras que devem andar sempre juntas, de mãos dadas, lado a lado. Honestidade, verdade, caráter, honra, coragem, coerência, brio profissional, perseverança são qualidades essenciais aos políticos e características indispensáveis ao exercício do poder. É nisso que nós e minha candidata acreditamos. É assim que nós e minha candidata agimos e continuaremos agindo. Não nos submeteremos a essa política rasteira, baixa, medíocre que alguns políticos costumam utilizar. Manteremos nossas crenças e valores e continuaremos fazendo política com trabalho e com propostas. Não perderemos tempo com baixarias, nem tentando comprar a consciência de nenhum eleitor são-dominguense. Conquistaremos nossos votos fazendo uma política limpa para que o poder seja reconquistado de forma digna e honesta e entregue a quem de direito lhe pertence: ao povo querido de são domingos.

Os políticos tem que pensar no bem comum. E a base das nossas propostas está voltada para melhorar a vida das pessoas que dependem do Poder Público. Nosso ideal é amparar os que estão desamparados. Sabem quantas pessoas dependem dos serviços e dos empregos que o Poder Público oferece? A grande maioria da população depende do funcionalismo público para sobreviver. Portanto, nós políticos temos que ser solidários com todos e principalmente com aqueles que são mais vulneráveis. Temos que fazer mais do que repetir promessas. Devemos ouvir a voz dos trabalhadores e dos desamparados, das mulheres e das famílias, dos servidores públicos e dos profissionais de todas as áreas, dos jovens e dos idosos, dos pequenos e dos grandes empresários, do comércio local, que oferece os produtos e serviços que são o fundamento do nosso desenvolvimento econômico, a máquina de gerar empregos, consumo e riqueza.

O grande Maquiavel escreveu: “O primeiro método para estimar a inteligência de um governante é olhar para os homens que tem à sua volta”. Portanto, o político deve servir ao povo, e não a partidos e a meia dúzia de empresários sem empresas que não representam o interesse público. Um governo deve sempre procurar unir as pessoas. Portanto, de mim ninguém deve esperar que nós estimulássemos a política-partidária, nem disputas dentro do nosso próprio grupo para me beneficiar ou beneficiar interesses de quem quer que seja. Somos um grupo e nós queremos todos, lado a lado, como exemplo a ser seguido na construção de uma São Domingos que seja realmente de todos.

Ninguém deve esperar de nós que joguemos um partido contra outro, um político contra outro, dentro do nosso próprio grupo. Nunca fizemos distinção entre pobres e ricos, empresários e trabalhadores rurais, azul e vermelho, gato e Bacural quando estivemos a frente do poder Municipal. E muito menos fizemos distinção entre os próprios BACURAL! Todos serão sempre bem-vindos ao nosso agrupamento porque nosso único objetivo é unir o povo em busca do bem comum. Sinceramente, é deplorável que haja políticos e empresários sem empresas que, em nome da política, tentam dividir a nossa querida São Domingos.

Não admito o raciocínio do “nós versus eles”. Não cabe na vida de um grupo. Lutamos pela união do grupo e não pela sua divisão. Pode haver uma desavença aqui outra acolá, como em qualquer família. Mas não se tolera agressão, perseguição, baixarias. Vou continuar trabalhando somando, agregando, buscando sempre novas adesões. Nunca dividindo e nem excluindo. O nosso povo ainda é muito carente e nós não vamos perdermos tempo com disputas dentro do nosso próprio grupo. Um político que destrói o próprio grupo em defesa de interesses pessoais não se preocupa com o povo. Por isso, nós conclamamos: vamos juntos, povo querido de são domingos, vamos Leila de Cosminho como nossa Prefeita. Continuaremos caminhando de mãos dadas com o povo e jamais abriremos mãos dos nossos objetivos que é o de colocar o povo de volta no poder. Se não deixarmos ninguém atrapalhar os nossos objetivos, nós conseguiremos. Vocês farão a escolha certa. Vocês estão preparados para isso.

Ninguém deve esperar que nós jogássemos qualquer pessoa contra a oposição que possa ser criada dentro do nosso próprio grupo, porque não o farei. Em mais de 20 anos de militância política nunca fizemos isso. Nunca fizemos política rasteira e nunca iremos fazer. Queremos todos juntos, cada um com sua identidade, em nome do bem comum.

Se o povo assim decidir, nossa pré-candidata administrará nossa cidade com todos, sem discriminar ninguém, sem perseguir ninguém. O verdadeiro grupo dos BACURAL quer juntar as pessoas em vez de separá-las, em vez de segregá-las. Queremos apresentar os nossos projetos, em vez de hostilizar os dos adversários. Vamos valorizar a identidade das pessoas em vez de hostilizar sua filiação partidária. É desta forma que vamos construir a São Domingos que queremos, sem perseguições, sem picuinhas, sem traições.

Quem nos conhece sabe que nossa história de vida e nossas convicções pessoais sempre estiveram comprometidas com a unidade do nosso grupo e com o bem estar do nosso povo. Nasci e cresci aqui em São Domingos e sou filho legítimo da terra, não um forasteiro apenas interessado no poder. Minha história política está diretamente vinculada à valorização do trabalho, do esforço, da dedicação. Lembro-me bem do meu pai, um homem austero, severo, digno. Seu exemplo me marcou na vida e na compreensão do que significa solidariedade, amor ao próximo, gratidão, educação. Um modesto comerciante que proporcionou o que o dinheiro jamais pode comprar. E me esforço para tornar digna a vida de todo homem e mulher, porque vejo a imagem de humano em cada trabalhador. E vejo em cada criança na escola o menino que fomos, cheio de esperanças, com o peito cheio de crença no futuro.

Como falei no início, esta será uma caminhada difícil. Mas manteremos nosso comportamento a favor do povo de São Domingos. Às provocações e agressões, vou responder com serenidade e juízo. Às falanges do ódio que insistem em dividir o nosso grupo, vamos responder com trabalho e com propostas. Vamos responder sempre dizendo a verdade ao povo. Sem mentiras, sem armações, sem traições. Aliás, quanto mais mentiras disserem sobre mim, mais verdades dirão sobre eles.

São Domingos não tem dono. São Domingos pertence aos são-dominguenses que trabalham; aos são-dominguenses que estudam; aos são-dominguenses que querem subir na vida sem que para isso tenha que derrubar alguém; aos são-dominguenses que não se vendem, que não se deixam corromper; aos são-dominguenses que não toleram baixarias; aos são-dominguenses que não querem uma “boquinha” do candidato em troca de voto; aos são-dominguenses que exigem ética na vida pública porque são honestos; aos são-dominguenses que não usem um partido ou com alguma maracutaia para subir na vida. Este sim é o povo que queremos mobilizar para a nossa luta; este é o povo que devemos convocar para a nossa caminhada. Porque São Domingos tem que voltar a ser do povo. E para isso o povo tem de estar unido.

Desde cedo, quando entrei na vida pública, descobri que a motivação maior, a mola propulsora da atividade política era atender aos anseios da população. A vida pública não é um sacrifício, mas sim um trabalho prazeroso de ajudar as pessoas. Não é um sonho de consumo, é um sonho de produção. Aprendi desde cedo que servir ao povo é bom, me faz feliz, porque me dá o sentido maior da minha existência, porque me traz uma sensação de bem estar muito mais profunda do que quaisquer confortos ou vantagens propiciados pelo status do poder. Aprendi que nada se compara à sensação de investir o dinheiro público em algo que seja bom para a coletividade e de ajudar a quem realmente necessita do poder público. Por isso, só tenho a agradecer o reconhecimento e a gratidão daqueles que me aclamaram como o pai dos pobres. Já a elite formada por políticos e empresários ricos não gosta do povão.

Quero aproveitar a oportunidade também para avisar a todos aqueles que estão tentando me derrubar politicamente, que, enquanto Deus me der saúde para fazer política em São Domingos, vou me dedicar vinte e quatro horas em defesa do povo são-dominguense. E saibam de uma coisa: podem me agredir nas redes sociais como estão fazendo, porque o são-dominguense legítimo tem o corpo fechado contra estes caluniadores. Nós não temos essa preocupação. Se nós tivesse medo de adversário não saía de casa em busca de contato com o povo. E quero dizer para essa gente querida uma coisa: se eles quiserem me derrotar, derrotar minha candidata terão que aprender que nós não fazemos política oferecendo comida, bebida e som ou prometendo quaisquer vantagens ou benefícios em troca do voto do eleitor, nós fazemos política conversando e visitando os eleitores para conhecer e ver de perto os problemas que assolam o nosso município. Nós fazemos política o ano inteiro, todos os dias, chegando junto do povo que precisa, e não apenas quando as eleições estão se aproximando.

Estarei sempre do lado do interesse do povo, independente de partido. Estarei sempre apoiando quem se interessa pelos problemas do nosso município. Estamos cientes de que muitas coisas ainda hão de ser feitas na nossa cidade para dar a dignidade que o povo merece. Tendo certeza que se o povo fizer realmente a sua parte não elegeremos nenhum candidato que só está visando interesses pessoais. 
Um abraço a todos os são-dominguenses que compreenderam este discurso sincero e até a vitória, se Deus quiser!

Hélio Mecenas, Robson Mecenas e Leila Paixão, representando todos do GRUPO BACURAL, 
 Agora é 55

terça-feira, 12 de abril de 2016

AGUENTA GATOS, O FINAL DO MANDATO DESTE GESTOR SE APROXIMA RAPIDAMENTE, APENAS 3 MESES PARA AS CONVENÇÕES MUNICIPAIS.

DINHEIRO OU SONHO ROUBADO
Segundo o Viradinho, o monstro já tem mais de um milhão de reais em casa para a campanha. Comenta-se que deve ser proveniente do roubo de combustível, locação, merenda escolar, caçamba coletora e muitas outras negociatas. Dinheiro do povo em troca de votos.

SEM PARTICIPAÇÃO DOS EX PREFEITO É POSSÍVEL GANHAR
O Viradinho agora sonha com a saída dos dois ex prefeitos da campanha de 2016 para se aproximar do grupo de oposição. Esquece esta coisa que o mesmo é odiado e enojado pelos eleitores da oposição.

GRUPO DA OPOSIÇÃO CERTO DA VITÓRIA EM 2016
A oposição vibrou com a chapa proposta pela situação. Um a derrota já fora antecipada da situação em virtude da falta de carisma da dupla. Uma outra vertente prende-se ao fato do chute no traseiro dado ao Viradinho.

O VIRADINHO FOI NOCAUTEADO
A fase do come e come acabou, restando a lembrança de um quebrado que deve demais aos agiotas e que certamente deixarás estes a ver navio, pois não irão receber o principal e seus juros exorbitantes.

AMOR INGRATO
O adorado do Viradinho esbanjava na Lanchonete os 1,200 reais recebidos do mesmo , em notas de 100 reais, ameaçando de ser a última vez: ou trás ou não leva mais por trás.

PENSÃO ALIMENTÍCIA EM ATRASO SEMPRE
Aquele eterno candidato a vereador de dúzia de votos, ao perceber que o barco do Viradinho estava afundando largou o partido em pleno dia da mentira.

DE VOLTA AO PONTO DE ONIBUS PROVISÓRIO
De repente o agiota caminhoneiro, pseudo comprador de bem público,colou o tempo inteiro no Viradinho sonhando receber o dinheiro da agiotagem a partir de janeiro de 2017. Tudo acertado, este seria o dono do cartão de crédito do Viradinho até pagamento total dos mais de 70 mil reais devidos. O sonho acabou e fotos agora só comemoração do fracasso.

QUERO MEU TALÃO DE COMBUSTÍVEL DE VOLTA
O Viradinho que tomou um chute no traseiro pelo seu sonho impossível e pelo puxa-saquismo exacerbado, agora resolveu aderir e assumir sua posição em defesa da chapa dos dois monstrengos antipáticos. Adeus notas de combustível e dinheirama sem freio.

SEGURO MALDITO
E aquele sujeito praticante de safadezas que não serve de exemplo, levou o seguro de seu familiar e já dilapidou o valor recebido em busca de um sonho que fora adiado para data indeterminada.

Qualquer semelhança com nome de pessoas ou fatos reais terá sido mera coincidência... 

AS PIMENTINHAS DECLARAM QUE AQUI SÓ FOI PUBLICADO UM SIMPLES APERITIVO, OU SEJA, UMA DOSE DE 51, CONTUDO TEMOS CENTENAS DE NOTÍCIAS CABULOSAS......BREVE MAIS HUMORISMO SATÍRICO E MODERNO....ATÉ ....


segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

AS PIMENTINHAS DOCINHAS

A LADY FALA MAS NINGUÉM DAR ATENÇÃO

E aquele viradinho que pagou 500 reais para dar uma entrevista alardeando que está rico e quer distribuir dinheiro, bem como ameaçando seu pupilo: “se não me colocar chuto a barraca e saio candidato também”. Coisa deste virado.

E O VEREADOR GORDINHO E BAIXINHO DO FERNANDO COLLOR

E aquele Vereador que estava em um Congresso no Espírito Santo, fretou um jatinho e veio doar sangue. Rapazinho bondoso e desonesto. O engraçado é que os dois poderes estarão querendo te pegar. Baixinho e gordinho desonesto.

GOSTO DE SELFE E MOSTRAR QUE SOU DO DIREITO

E aquele vereador do carrão de 2 mil mensais de prestação, fora pego com a mão na botija, pois recebe salário de motorista sem trabalhar. O cara é honestíssimo. Não é atoa que muda de nome igual à lagartixa com a cor.

GESTOR MANHASO, DESONESTO E VELHACO

Olhando as fotos da equipe que irá para o campo, percebe-se que aquele gestorzinho de meia tigela daquela cidade, já não tem quase ninguém do seu lado. Acabou mesmo o grupo, resta apenas o poder por mais alguns meses.

O PREÇO DA  SEM VERGONHICE E DO CAMINHÃO

Naquela terra do fim do mundo, aquela senhora cujo passado nada serve de exemplo, tenta atingir a dignidade das pessoas, se auto conclamando ser possuidora do valor de um caminhão. Deve ser um caminhão de madeira confeccionado no meio da feira.